Nova pagina 1

Pernambuco suspende vacinação de grávidas com AstraZeneca após recomendação da Anvisa e estende decisão para puérperas

Por G1 PE

 


Que vacina é essa? Oxford Astrazeneca

Que vacina é essa? Oxford Astrazeneca

A Secretaria de Saúde de Pernambuco suspendeu, nesta terça-feira (11), a aplicação da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca/Fiocruz em grávidas e puérperas, que são mulheres que deram à luz há até 45 dias. A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou na noite da segunda-feira (10) a suspensão imediata da aplicação do imunizante em grávidas.

A secretaria informou, em nota, que a vacinação desses grupos fica suspensa enquanto o estado “aguarda orientação oficial do Ministério da Saúde (MS) sobre o assunto”.

Apesar de a recomendação da Anvisa citar apenas grávidas, o estado decidiu por estender a decisão também para as mulheres que pariram há pouco tempo por precaução até que o ministério se manifeste, informou a SES.

A superintendente de Imunizações de Pernambuco, Ana Catarina de Mel, afirmou que o estado também depende de um pronunciamento oficial do Ministério da Saúde para saber se deve ser feita e como deve ser a aplicação de segunda dose das grávidas que já receberam a primeira dose de AstraZeneca.

Com a decisão, só podem ser aplicadas nas grávidas a Coronavac/Butantan e a Pfizer/Biontech. No entanto, a vacina da Pfizer é utilizada em apenas em três cidades pernambucanas: RecifeOlinda Jaboatão dos Guararapes (veja detalhes mais abaixo).

Devido à escassez de doses, a CoronaVac/Butatan está sendo aplicada apenas como segunda dose em Pernambuco. Algumas cidades, como Paulista e Olinda, estão sem estoque do imunizante produzido pelo Instituto Butantan e suspenderam totalmente a aplicação dele.

A vacinação dos outros grupos prioritários com utilização da AstraZeneca, como os de pessoas com comorbidades, segue normalmente em Pernambuco.

Situação no Grande Recife

Secretaria de Saúde de Pernambuco suspende uso da AstraZeneca em gestante e puérperas

Secretaria de Saúde de Pernambuco suspende uso da AstraZeneca em gestante e puérperas

Recife e Jaboatão dos Guararapes informaram que utilizam apenas Pfizer em grávidas e, com isso, a recomendação da Anvisa e do estado não afetou a vacinação nessas cidades. Olinda também dispõe de doses da Pfizer e informou que aplicaria nesses dois grupos.

As prefeituras de Abreu e LimaCabo de Santo AgostinhoCamaragibeIgarassu Moreno suspenderam a vacinação de grávidas e puérperas. Itamaracá informou que estava imunizando grávidas com comorbidades e também suspendeu. Os municípios têm unidades da CoronaVac reservadas exclusivamente para segunda dose e nenhum deles não recebeu Pfizer.

São Lourenço da Mata e Paulista, que iniciariam a vacinação desses dois grupos nesta terça e utilizando AstraZeneca, acataram a decisão do governo do estado e suspenderam a imunização. Ao contrário de Paulista, que não tem estoque da vacina do Instituto Butatan, São Lourenço tem unidades, mas apontou que são exclusivas para segunda dose.

AraçoiabaItapissuma e Ipojuca apontaram que não imunizam ainda grávidas e puérperas. A prefeitura de Araçoiaba informou que as doses restantes que tem de CoronaVac, das 70 que recebeu na última remessa, estão sendo utilizadas apenas para segunda aplicação.

Em Ipojuca, as unidades do imunizante produzido pelo Instituto Butantan estão sendo utilizadas para concluir a vacinação de pessoas acamadas e idosos que moram em locais distantes, segundo a gestão municipal. Itapissuma também informou que segue com unidades da vacina sendo aplicadas.

Troca proposta pelo Recife

Prefeito do Recife diz que vai propor trocar vacinas da Pfizer por AstraZeneca

Prefeito do Recife diz que vai propor trocar vacinas da Pfizer por AstraZeneca

Em entrevista à TV Globo, nesta terça-feira (11), o prefeito do Recife, João Campos (PSB), afirmou que a capital vai propor a outros gestores de saúde uma troca das vacinas da Pfizer por da AstraZeneca, de forma que outras cidades também possam continuar vacinando grávidas e puérperas (veja vídeo acima).

“Isso é uma proposta que o Recife vai levar para discutir com os gestores de saúde de outros municípios e com o governo do estado. Como o Recife é uma das três cidades do estado que recebe a vacina Pfizer, a gente já está dizendo de agora que abre a mão da vacina Pfizer, trocando por AstraZeneca”, afirmou o prefeito.

A decisão sobre essa troca proposta pelo Recife e a reunião, no entanto, ainda não têm data para ser tomada.

Recomendação da Anvisa

Vacina de Oxford/AstraZeneca — Foto: Heudes Regis/Governo de Pernambuco/Divulgação

Vacina de Oxford/AstraZeneca — Foto: Heudes Regis/Governo de Pernambuco/Divulgação

Em nota, a Anvisa afirmou que a orientação é que “seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) a indicação da bula da vacina AstraZeneca e que a orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas Covid em uso no país”.

A Anvisa, no entanto, não relatou nenhum evento adverso ocorrido em grávidas no Brasil.

O texto diz ainda que “o uso de vacinas em situações não previstas na bula só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios para a paciente”.

O que diz a AstraZeneca?

Em nota, a AstraZeneca afirmou que “mulheres que estavam grávidas ou amamentando foram excluídas dos estudos clínicos” da vacina. Veja íntegra:

“Referente a suspensão do uso da vacina AstraZeneca/Fiocruz por parte da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a AstraZeneca esclarece que as mulheres que estavam grávidas ou amamentando foram excluídas dos estudos clínicos. Esta é uma precaução usual em ensaios clínicos. Os estudos em animais não indicam efeitos prejudiciais diretos ou indiretos no que diz respeito à gravidez ou ao desenvolvimento fetal.”

Faça o primeiro comentário a "Pernambuco suspende vacinação de grávidas com AstraZeneca após recomendação da Anvisa e estende decisão para puérperas"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*