Em apenas quatro dias a Delegacia de Polícia Civil de Serra Talhada registrou pelo menos sete casos de estelionato e fraude no município. Destes, cinco ocorreram no intervalo de poucas horas nessa sexta-feira (30) e seis na mesma agência bancária. Em contato com o Farol de Notícias, a polícia descreveu os casos.

Um senhor de 68 anos, morador do distrito de Luanda, prestou queixa após ir até a Caixa Econômica Federal, por volta das 10h30 para sacar a sua aposentadoria, no valor de R$ 630. Quando percebeu que não havia dinheiro na conta. Ao procurar ajuda com um funcionário, foi informado que seu cartão pode ter sido clonado.

Na mesma manhã, um morador do Assentamento Virgulino Ferreira, de 53 anos, também cliente da Caixa Econômica, foi sacar um valor e ao consultar o saldo descobriu que R$ 4.251,00 foi transferido para outra conta corrente.

MAIS CASOS

No início da tarde, uma moradora do bairro Vila Bela, de 39 anos, foi receber sua pensão de R$ 954 quando percebeu que o dinheiro já havia sido retirado. Em seguida, outro homem de 65 anos teve seu benefício sacado. O prejuízo da vítima foi de R$ 1.130,00.

Na mesma tarde, uma jovem moradora do distrito de Serrinha, de 27 anos, informou a polícia que o seu pagamento do Bolsa Família, o valor total foi de R$ 170.

GOLPE NO DOMINGO

Ainda na Caixa Econômica Federal, na manhã do domingo (2), um morador do bairro Tancredo Neves teve seu cartão trocado no banco por um desconhecido que se aproximou e o enganou dizendo que ele teria que fazer um procedimento bancário senão pagaria uma taxa de R$ 98.

De acordo com a vítima, de 43 anos, um jovem loiro, alto, de short e camiseta o pediu que colocasse o cartão e a senha novamente, ficou próximo olhando o passo a passo e aproveitou um descuido para trocar os cartões.

Já na manhã desta segunda-feira (3), duas pessoas desconhecidas entraram em contato com uma moradora do distrito de Varzinha, de 36 anos, informando que ela teria que depositar dinheiro para limpar o seu CPF.

A primeira parcela seria de R$ 380, algumas dias depois pediram outro depósito de R$ 1.200,00. A vítima desconfiou, não realizou o segundo depósito e procurou a polícia

via O farol de notícias