Por Giovanni Sá, editor do Farol de Notícias

Uma polêmica ‘incendiou’ de ontem para hoje as redes sociais, e, mais uma vez, o deputado eleito, Alexandre Frota, ator pornô e um dos ícones do bolsonarismo, é o centro das atenções.

Na terça-feira (25), no Twitter, o deputado paulista respondeu a um usuário que publicou a mensagem “também tem ator pornô que não paga a pensão do filho” com a frase “só podia ser de Pernambuco”.

Esta atitude xenofóbica, irritou o deputado federal eleito, Túlio Gadelha, que acionou o Ministério Público Federal em Pernambuco (MPF-PE) contra Alexandre Frota (PSL). Nas duas ações protocoladas nessa quinta-feira (27), Frota é acusado do crime de xenofobia.

A pergunta que não quer calar: Por que Alexandre Frota, ao se deparar com a verdade, partiu para atacar Pernambuco e os pernambucanos? Por desconhecimento da grandeza e altivez de Pernambuco? Por não conhecer a história soberana e de lutas do estado Leão do Norte? ou porque, no fundo, tem, sim; aversão aos nordestinos?

Nada melhor, para fechar este texto interrogatório, uma resposta do jornalista e escritor Fabrício Carpinejar.

“Só podia ser de Pernambuco a poesia geométrica de João Cabral, o teatro da vida real, a morte e vida Severina. Só podia ser de Pernambuco o frevo, o maracatu, o Galo da Madrugada, a alegria ecumênica. Só podia ser de Pernambuco os bonecos de Olinda, o olhar oceânico do alto das igrejas e dos muros brancos. Só podia ser de Pernambuco a literatura de cordel, o raciocínio rápido do repente, a magia dos violeiros. Só podia ser de Pernambuco Manuel Bandeira e a Estrela da Manhã”. Da pra tu, Frota, ou teremos que desenhar?